Mãe do Divino Amor é um projeto concebido ao abrigo da Confraria Angélica, com o objetivo de: propiciar às famílias a presença da Mãe de Jesus levando seu Filho, a fim de possibilitar-lhes que estabeleçam um diálogo com o Céu; e anunciar o retorno de Jesus.

Direção
Coordenação-geral: ocupada pelo presidente da Confraria;
Coordenação: ocupada pelo coordenador do Anúncio (Confraria);
Supervisão: ocupada por missionário designado pelo presidente.

Base do Trabalho
A base deste trabalho são as 15 imagens de Nossa Senhora, que se encontram no Pátio da Confraria Angélica (ao lado da Capela Magnificat). Elas trazem no peito as imagens dos três anjinhos (Gabriel, Raphael e Uriel) e são nomeadas com os passos da Via-Sacra, conforme livreto de publicação desta Obra.

Capelinhas e imagens
As 15 imagens de Nossa Senhora contarão com capelinhas que abrigarão imagens Mãe do Divino Amor. Cada capelinha se reportará a uma das 15 imagens e levará o seu nome, além de ser numerada; contará com um zelador, responsável pela sua guarda e trabalho, e permanecerá em sua sede onde o grupo se reunirá periodicamente para planejamento e avaliação dos trabalhos. Cada capelinha agrupará até 50 imagens Mãe do Divino Amor, que lhe serão incorporadas gradativamente, na medida de seu crescimento. Cada imagem desta levará o nome de sua capelinha, estabelecendo o elo Nossa Senhora-Capelinha-Imagem; será também numerada e ficará sob a tutela de um missionário escolhido pelo zelador, o qual comunicará tal escolha à supervisão, que por sua vez dará ciência à coordenação.

Atividade
O trabalho com essas imagens se fará através de visitas a locais previamente agendados, onde permanecerá por até 5 (cinco) dias, acompanhado do presente livreto, que contém os cantos, orações e textos a serem lidos, observadas as divisões (I, II e III) onde: o que está na I PARTE deve ser feito integralmente, da II PARTE deve ser tomado um ou mais textos para leitura, ficando como opcional a escolha complementar a ser extraída da III PARTE.
Deverá ser observado o tempo de cada visita, ajustando-o à situação local, sem delongas que sejam cansativas e improdutivas; para isso é necessário objetividade e bom senso.