A Mulher contra o Dragão

Vemos retratada aqui a história da Igreja até nossos dias – o ouro, a prata e o bronze representando os 1.800 anos iniciais, divididos em rês períodos de 600 anos cada, do qual podemos formar o número 666 – “Lembra-se quando lhe ensinei que o número de Jesus é seis (6) e que Lúcifer, mascarando-o, fez criar na cabeça de vocês o 666, que na verdade representa Deus, Jesus e o Espírito Santo? O Anticristo é ele, que em sua soberba deseja ser Deus!” (livro Raymundo Lopes – Daniel – Uma Incógnita dos Finais dos Tempos, pág. 37).
Vimos também no diálogo O Anúncio do Juízo (livro O Terceiro Segredo – A Vinda de Jesus, pág. 138) que esse tempo, chamado tempo do fim, começa com o batismo de Jesus (ano 30 da era cristã: início de Sua vida pública e, portanto, do cristianismo). Esses três períodos terminam, então, em 1830: Catarina Labouré – 1ª tentativa de Nossa Senhora quanto ao anúncio do retorno de Jesus. Foram 3 tentativas ‘de leigo para a Igreja’: Catarina, Bernadete e Lúcia; seguidas de uma quarta ‘de leigo para leigo’: Raymundo Lopes, que pode ser vista em 2 partes: dirigida à Igreja (cartas ao Vaticano) e aos leigos (publicações levadas a público, palestras, sites).

Vemos ainda nesse diálogo: “…o tempo do fim, que teve seu ápice no dia da expiação, no ano da Terra de 1844, e terá seu término também num dia da expiação, que está por vir. A partir do ano de 1844, iniciou-se a preparação para o retorno glorioso do Senhor Jesus, e ele se realizará no fim deste tempo.”
Após esses três períodos (ouro, prata e bronze) temos um período menor, mas muito intenso: o do ferro/barro, no final do qual Jesus retornará (Daniel 7,7): “…eu vi um quarto animal, terrível, espantoso e extremamente forte: com enormes dentes de ferro, devorava e fazia em pedaços e pisava aos pés tudo o que restava. Muito diferente dos animais que o haviam precedido, tinha este dez chifres.”
Vale lembrar aqui a visão que o Papa Leão XIII teve em 1891, ao fazer sua ação de graças na Missa: “viu a terra ser invadida por nuvens sombrias de espíritos infernais, e ouviu uma discórdia entre Jesus e Satanás, em que este exigia mais tempo para destruir a Igreja; ao que o Senhor respondeu: ‘Terás o tempo que pedes, depois faremos as contas’. Isto levou o Pontífice não só publicar a oração Pequeno Exorcismo, como mandou que fosse rezada no final das celebrações eucarísticas, prática mais tarde suprimida.”
Vivemos, portanto, um tempo subjugado por Lúcifer. Em contrapartida, porém, contamos com uma forte presença da Mãe de Jesus manifestando-se no mundo, alertando-nos sobre esse mal e exortando-nos à conversão, para que possamos receber Jesus “com as velas acesas”. Sua imagem aqui, nas três cores, simboliza esta ação; e em seus pés este final dos tempos: “O Apocalipse aproxima-se de sua fase final e soa, no raiar deste novo milênio, a hora onde tudo nele contido será cumprido.” (livro Uma voz que fala aos meus ouvidos, pág. 170) – A luta da Mulher contra o Dragão.
Na sucessão dos períodos, vemos uma queda dos metais que os representam: ouro, prata, bronze, ferro/barro – a decadência da humanidade induzida por Lúcifer. Vejam o diálogo O Anticristo (livro O Terceiro Segredo – A Vinda de Jesus, pág. 132).
Em Daniel (2,44-45), vemos: “…o Deus do Céu levantará um reino que jamais será destruído, um reino que jamais passará a outro povo. Esmagará e aniquilará todos esses reinos, enquanto ele mesmo subsistirá para sempre. Foi o que pudeste ver na pedra que se destacou da montanha, sem que mão alguma a tivesse tocado, e reduziu a pó o ouro, a prata, o bronze, o ferro e o barro.” – Jesus é a rocha, Ele é essa pedra – Mateus 21,42: “Disse-lhes então Jesus: ‘Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular’?”
Essa pedra vai atingir o Império do Anticristo, os pés da estátua, é ele que vai ser reduzido a pó. Reduzido a pó este império, começa o Reino de Cristo e este reino não passará a outro povo. – “Haverá mil anos de paz depois disso tudo; mas, antes, a Igreja sofrerá um duro golpe com o destronamento de um Papa (Bento XVI ou Francisco).” (livro Raymundo Lopes – Daniel – Uma Incógnita dos Finais dos Tempos, pág. 23). – “Vi então um Anjo descer do céu, trazendo na mão a chave do Abismo e uma grande corrente. Ele agarrou o Dragão, a antiga Serpente – que é o Diabo, Satanás –, acorrentou-o por mil anos e o atirou dentro do Abismo, fechando-o e lacrando-o com um selo para que não seduzisse mais as nações até que os mil anos estivessem terminados. Depois disso, ele deverá ser solto por pouco tempo.” (Ap 20,1-3). Essa pedra lançada nos pés da estátua representa a Batalha do Armagedom.
“Um governo mundial, por volta de 2015, será caracterizado pelo emprego da justiça e pela retidão, porque será restabelecida uma atmosfera de paz, de justiça, de prosperidade e de amor provenientes de Deus. Esse governo divino será colocado depois da derrota de todos os sistemas que vocês conhecem, e, embora de duração pequena, será a Palavra de Deus sobre todas as coisas, porque depois disso será o fim deste tempo. Tudo na terra será passado, porque somente Jesus permanecerá, munido de Glória e de Majestade.” (livro Raymundo Lopes – Daniel – Uma Incógnita dos Finais dos Tempos, pág. 14).
Vejamos então o quanto está próximo a vinda de Jesus, pois o cenário está sendo montado e logo a peça será encenada… Temos que ficar atentos, sabermos reconhecer os sinais da vinda de Jesus Cristo e nos prepararmos para esse grande acontecimento.
Segunda-feira, 02 de abril de 2007 – Vila Del Rey

Raymundo Lopes