Era noite, aproximadamente 3 horas. Eu estava completamente sem sono, devido aos últimos acontecimentos envolvendo minha viagem a Roma. Não conseguia me situar, e o peso da responsabilidade em saber que sou um personagem importante do Terceiro Segredo de Fátima, deixa-me sem fôlego.
Levantei-me e fiz uma pequena caminhada até o portão. Estava muito frio, por isso enrolei-me numa manta. Perto do pequeno lago onde tem uma fonte, dançavam três luzinhas, nas cores que sempre vejo: amarela, azul e vermelha. Pareceu-me tratar-se de vaga-lumes ou o reflexo de alguma luz dançando na água, quando, observando melhor, vi o rosto dos meninos. Era como se estivessem dentro d’água. Eles colocaram as maõzinhas para fora, convidando-me a entrar na água. Dei-lhes as mãos, mas, num impulso, fui eu que os tirei para fora. Eles riram e disseram-me para sentar no banco de alvenaria que tem perto das janelas da Capela, e falaram-me:
– Deus está satisfeito com você, e sua Mãe terrena também!
– Onde está Maria Santíssima, desejo contá-la como foi!
– Não precisa, Ela não o deixou um só instante. – disse-me o de vermelho.
– Minha missão então terminou! – respondi.
O de amarelo entrou na conversa e falou:
– Não, inicia agora. Antes era um processo imposto por Deus. Agora, inicia uma etapa a pedido da doce e serena Senhora. Ela confia na sua fidelidade. Ela confia no seu comprometimento. Ela confia no seu amor em defender o retorno de Jesus. Agora inicia um período em que você, com seu testemunho, fará surgir a verdadeira credibilidade de que Maria é a intercessora para que o Mestre Jesus venha habitar nos corações de vocês. Desejamos que escreva nossos nomes e repasse-os a seus amigos, porque, a pedido da doce e serena Senhora, temos a autorização de EIN-SOF (eles soletraram letra por letra) para guiá-los e protegê-los .
– Quem é EIN-SOF? – soletrei conforme eles me passaram.
– É o nome impronunciável de Deus!! – disseram.
– Eu tinha me esquecido o nome de vocês, sabia que um se chama Uriel, mas dos outros dois tinha me esquecido, foi o Francisco que me lembrou!
– Vamos até onde existe papel, queremos que anote!
– Por quê?
– Porque essa é uma fórmula angélica de pedir nossa presença.
Fui até os papéis das Missas e comecei a anotar o que eles me diziam. Primeiro o azul, depois o vermelho e a seguir o amarelo. Em seguida completei:
– Não vou mais falar com Nossa Senhora?
– Claro que vai, mas é necessário um tempo de onde nós estamos.
Eles começaram a falar algumas letras, e eu as anotava num papel.
– Quer dizer que quando eu e os Missionários desejarmos a proteção de vocês, podemos escrever estas letras? Porque elas são impronunciáveis!
– Sempre que tiverem estas letras, numa sequência certa, estaremos por perto.
– Não vou mais falar com Nossa Senhora?
– Aguarde, porque, quando terminar o tempo imposto pelo nosso tempo, a doce e serena Senhora falará com você.
Dizendo isto, eles deram as mãos, fazendo roda, e sumiram.