Somos ligados a um assunto que provoca questionamentos, e Raymundo Lopes está no centro dessa questão.
Atualmente existe uma febre de pessoas que se dizem videntes, ou cientes de coisas que estão além de nossos parcos conhecimentos. Vocês já leram ou ouviram falar sobre essa figura enigmática – Raymundo Lopes?
Ele é discreto, dá poucas entrevistas, não aparece na mídia, mas está sutilmente tornando-se uma figura preeminente no mundo católico, pela missão que lhe foi confiada por Deus.
Recebe convites para palestras no Brasil e no exterior, teve audiências com importantes dignitários de nossa Igreja, recebeu enviados do Vaticano, esteve com os Papas João Paulo II e Bento XVI, este último a convite de Sua Santidade, tendo a conversa por foco central a questão do retorno de Jesus e o que dizia a seu respeito a carta da Irmã Lúcia relativa ao Segredo de Fátima.
É um personagem refinado, embora às vezes impulsivo, franco quando necessário, seguro no que fala, fazendo calar nossos argumentos diante de suas certezas inspiradas pelo Céu.
Conseguimos uma entrevista com ele que durou cerca de 15 minutos, em sua residência, num condomínio em Nova Lima (Grande BH). Quando desceu para nos receber na linda e sacra Capela que tem – Capela Magnificat –, tivemos a impressão de estarmos diante de uma figura rara, não obstante sua aparente simplicidade, e até mesmo bíblica, por que não dizer, revestida que é de singular predestinação celeste.
Respondeu com paciência nossas perguntas, e depois despediu-se alegando as inúmeras responsabilidades que o ocupam, afinal, pesa sobre seus ombros a responsabilidade de uma Obra inspirada pelo Céu que se torna cada vez maior.
Durante nossa conversa, testemunhamos ligações telefônicas para seu celular, provenientes de um hospital (paciente muito mal pedindo sua presença) e duas do exterior, que nos deixaram intrigados.
Perguntamos-lhe se não ficava chateado com algumas matérias levadas a público que o denegriam. Ele respondeu: “Já viu a figura de Jesus dependurado numa cruz? Aquelas pessoas que estavam por perto, o que falavam d’Ele?”

Confraria Angélica